Início Economia Greve dos trabalhadores afectou o país inteiro

Greve dos trabalhadores afectou o país inteiro

Trabalhadores da administração pública de todo o país mobilizaram-se no dia de ontem numa jornada de luta por melhores salários, encerrando vários serviços, com os sindicatos a avançarem uma adesão de 90% na saúde e na educação e 60% na justiça.

Mais de 1.500 escolas estiveram fechadas, de acordo dados divulgados pela Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP).

Segundo a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) fecharam 90% das escolas.

Durante a manhã de ontem, o pólo principal do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) funcionou a meio gás, com reflexos nas consultas, exames e internamento, devido à primeira greve nacional da função pública que o actual governo enfrenta.

Em Castelo Branco, a consulta externa do Hospital Amato Lusitano esteve a funcionar sem funcionários administrativos, o que obrigou à confirmação electrónica das consultas e causou alguma confusão.

Os sindicatos fizeram um balanço “muito positivo” dos efeitos da paralisação no Hospital de São João, no Porto, o maior da região Norte, assinalando a paragem de muitos serviços e fortes condicionamentos em outros.

A greve de trabalhadores da função pública levou ao encerramento de vários serviços hospitalares no Algarve, com os blocos operatórios de Faro e Portimão em serviços mínimos e consultas canceladas.

Centenas de serviços públicos estiveram encerrados, com os trabalhadores a rejeitarem a proposta de aumento salarial de 0,3%, que consideram insultuosa.

O fecho de escolas foi um dos sinais visíveis da greve em Aveiro, mas também em Coimbra, Lisboa, no Alentejo, em Faro, Portimão e na Madeira, como em muitas outras regiões.

Nos bombeiros profissionais, a adesão ao protesto rondou 80% a 85%.

Na Madeira, o Serviço de Saúde indicou que a adesão dos profissionais do sector foi “muito residual” porque os sindicatos dos enfermeiros e dos médicos não emitiram pré-avisos de greve na região autónoma.

Na área da Justiça, dos 162 funcionários da Comarca da Madeira, 48 aderiram à greve. Houve quatro secções fechadas, mas os julgamentos estavam a realizar-se.

Também os trabalhadores dos supermercados e armazéns de logística das empresas de distribuição fizeram greve para exigirem aumentos salariais de 90 euros e a valorização das carreiras.

Pub

Leia também

Oito novos casos nas últimas 24h

O concelho da Figueira da Foz registou seis casos de pessoas infectadas com covid-19 nas últimas 24h, permanecendo um total de 76 casos activos,...

Dois filmes realizados em pós-graduação na Figueira seleccionados para 25º Festival de Avanca

Dois filmes produzidos no âmbito do curso de Pós-graduação em Cinema e Audiovisuais da ESAP - Escola Superior Artística do Porto, acabam de ser seleccionados...

Seis casos nas últimas 24h – concelho com 78 casos activos

O concelho da Figueira da Foz registou seis casos de pessoas infectadas com covid-19 nas últimas 24h, permanecendo um total de 78 casos activos,...

Acidente com veículo dos Bombeiros Voluntários

A caminho de um incêndio rural no sul do concelho, uma viatura dos Bombeiros Voluntários da Figueira da Foz teve um acidente. Segundo apurámos,...

Figueira da Foz promove registo itinerante de terrenos nas freguesias

O município da Figueira da Foz vai promover, ao longo de Agosto, a identificação e registo de terrenos nas freguesias do concelho, através de...