Início Economia Greve dos trabalhadores afectou o país inteiro

Greve dos trabalhadores afectou o país inteiro

Trabalhadores da administração pública de todo o país mobilizaram-se no dia de ontem numa jornada de luta por melhores salários, encerrando vários serviços, com os sindicatos a avançarem uma adesão de 90% na saúde e na educação e 60% na justiça.

Mais de 1.500 escolas estiveram fechadas, de acordo dados divulgados pela Federação de Sindicatos da Administração Pública (FESAP).

Segundo a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) fecharam 90% das escolas.

Durante a manhã de ontem, o pólo principal do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC) funcionou a meio gás, com reflexos nas consultas, exames e internamento, devido à primeira greve nacional da função pública que o actual governo enfrenta.

Em Castelo Branco, a consulta externa do Hospital Amato Lusitano esteve a funcionar sem funcionários administrativos, o que obrigou à confirmação electrónica das consultas e causou alguma confusão.

Os sindicatos fizeram um balanço “muito positivo” dos efeitos da paralisação no Hospital de São João, no Porto, o maior da região Norte, assinalando a paragem de muitos serviços e fortes condicionamentos em outros.

A greve de trabalhadores da função pública levou ao encerramento de vários serviços hospitalares no Algarve, com os blocos operatórios de Faro e Portimão em serviços mínimos e consultas canceladas.

Centenas de serviços públicos estiveram encerrados, com os trabalhadores a rejeitarem a proposta de aumento salarial de 0,3%, que consideram insultuosa.

O fecho de escolas foi um dos sinais visíveis da greve em Aveiro, mas também em Coimbra, Lisboa, no Alentejo, em Faro, Portimão e na Madeira, como em muitas outras regiões.

Nos bombeiros profissionais, a adesão ao protesto rondou 80% a 85%.

Na Madeira, o Serviço de Saúde indicou que a adesão dos profissionais do sector foi “muito residual” porque os sindicatos dos enfermeiros e dos médicos não emitiram pré-avisos de greve na região autónoma.

Na área da Justiça, dos 162 funcionários da Comarca da Madeira, 48 aderiram à greve. Houve quatro secções fechadas, mas os julgamentos estavam a realizar-se.

Também os trabalhadores dos supermercados e armazéns de logística das empresas de distribuição fizeram greve para exigirem aumentos salariais de 90 euros e a valorização das carreiras.

Leia também

Esfaqueamento na Figueira da Foz causa um ferido grave

Na madrugada de hoje ocorreu um desacato entre várias pessoas, junto a um estabelecimento nocturno no Bairro Novo, na Figueira da Foz,...

Estabelecimento comercial assaltado na Figueira

Um homem de 40 anos foi detido por furto num estabelecimento comercial na Figueira da Foz, cerca das 22h10 do passado sábado.

Investimento de 2,9 milhões de euros no Hospital da Figueira da Foz

O Ministério da Saúde anunciou este domingo que a remodelação do bloco operatório central do Hospital Distrital da Figueira da Foz, um investimento de...

Carnaval: ontem foi assim e terça repete

Amanhã, terça-feira, o corso do Carnaval de Buarcos/Figueira da Foz volta a sair à rua. Ontem, milhares de pessoas...

Figueira da Foz e Penacova interligam-se com a II Maratona de Teatro

No próximo dia 1 de Março ocorre na Figueira da Foz a II Maratona de Teatro, que liga a cidade a Penacova...