Início Desporto Municípios e regiões de turismo pedem apoio do Governo ao Rali de...

Municípios e regiões de turismo pedem apoio do Governo ao Rali de Portugal

As regiões de Turismo do Centro e do Norte e os municípios envolvidos na realização do Rali de Portugal, em Maio, vão solicitar ao Governo uma comparticipação financeira do Estado na organização desta competição automóvel.

O vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Carlos Cidade, contou à agência Lusa que as duas entidades regionais de Turismo e as 14 autarquias que apoiam a edição deste ano do Rali Vodafone de Portugal vão enviar “ainda esta semana” ao primeiro-ministro, António Costa, um documento com esse objectivo.

“O pedido de comparticipação financeira do Estado é já para a edição deste ano”, precisou Carlos Cidade, anfitrião da conferência de imprensa de apresentação do Rali de Portugal, num momento em que o presidente da Câmara, Manuel Machado, se tinha ausentado da sala, devido a compromissos, em Lisboa, na qualidade de presidente da Associação Nacional de Municípios Portugueses, relacionados com o processo de aprovação do Orçamento do Estado para 2020.

Na intervenção final da sessão, nos Paços do Concelho de Coimbra, o vice-presidente salientou que “um evento desta dimensão”, que se realiza entre 21 e 24 de Maio, exige o envolvimento da Administração Central no plano financeiro.

Na sua opinião, o Rali de Portugal “tem uma posição única” na projecção do país a nível internacional.

As regiões de Turismo do Centro e do Norte e os municípios querem sensibilizar António Costa “para a necessidade de o Estado Central assumir também uma parte desta responsabilidade”, apoiando a iniciativa, como Manuel Machado já tinha defendido na abertura dos trabalhos.

“É o evento de maior projecção internacional de toda a região”, sublinhou, por sua vez, o presidente da Câmara de Arganil, Luís Paulo Costa, do PSD.

O presidente socialista da Câmara da Lousã, Luís Antunes, aproveitou o momento para realçar que o Rali de Portugal “é um investimento significativo que tem retorno”, sobretudo num território, entre o seu município e a capital do distrito, que “tem razões de queixa em relação às acessibilidades” depois do encerramento do ramal ferroviário da Lousã, há 10 anos, com a promessa de um metro ligeiro, desde 1996, e mais recentemente de autocarros eléctricos, o denominado “Metro Bus”.

O director da prova organizada pelo Automóvel Club de Portugal (ACP), Horácio Rodrigues, frisou que a sustentabilidade ambiental “é uma das prioridades” da edição deste ano do Rali de Portugal.

Usaram ainda da palavra o professor Fernando Perna, da Universidade do Algarve, que apresentou um estudo sobre o impacto da edição de 2019 da prova na economia do turismo e na imagem do destino, além dos presidentes das câmaras de Mortágua, Júlio Norte, e de Góis, Lurdes Castanheira.

Pub

Leia também

Pais contra as mudanças de sala dos alunos

Os pais e encarregados de educação da turma 1, do 6.º ano de escolaridade da Escola Dr. João de Barros da Figueira...

Mais de 300 médicos de família ainda não foram colocados

Mais de um mês após o lançamento do concurso para colocação dos 365 médicos de família, os especialistas continuam sem trabalhar numa...

Protecção Civil emite recomendações para próximos dias de mau tempo

A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) emitiu hoje recomendações para as próximas 48 horas devido às previsões de chuva...

Chuva regressa na quinta-feira

A chuva deverá regressar na quinta-feira a Portugal, prevendo-se uma descida gradual de temperatura e aguaceiros, que poderão ser acompanhados de trovoada,...

Castelo Eng. Silva vai abrir as portas com novo Posto de Turismo no final deste mês

O Castelo Eng. Silva, na Esplanada Silva Guimarães, está a ser convertido num novo posto de Turismo com valências culturais. A inauguração...