Início Nacional O navio “Figueira da Foz” levou mantimentos aos Açores

O navio “Figueira da Foz” levou mantimentos aos Açores

A Força Aérea e a Marinha levaram hoje para a ilha das Flores um total de 30 toneladas de mercadoria, sendo leite, medicamentos e legumes alguns dos bens a transportar, informou o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

Em nota à imprensa, a entidade sublinha que o apoio surge a pedido do Governo dos Açores e, no total, a Marinha e a Força Aérea colocarão ao serviço 56 militares, um navio e uma aeronave para levar bens e produtos à ilha do grupo ocidental dos Açores, cujo maior porto ficou destruído após o furacão Lorenzo e cujas condições meteorológicas e oceanográficas adversas têm impedido o regular abastecimento das populações.

“O navio patrulha oceânico «Figueira da Foz», com 51 militares a bordo, largou ontem (Quarta-feira) à noite do porto da Praia da Vitória, na ilha Terceira, após embarcar 25 toneladas de bens essenciais, estando previsto chegar à ilha das Flores hoje à tarde. A aeronave C-295, com uma tripulação de 5 militares, vai descolar durante a tarde da ilha Terceira, com 5 toneladas de bens essenciais (víveres) embarcados”, prossegue o EMGFA.

O recurso às Forças Armadas para o abastecimento da ilha das Flores foi anunciado na Quarta-feira pelo Governo Regional dos Açores.

Será ainda avaliada a necessidade de bens na ilha do Corvo, também pertencente ao grupo ocidental dos Açores, indicou na altura o director regional com a tutela dos Transportes, Pedro Silva.

A passagem do furacão Lorenzo pelos Açores, em Outubro de 2019, causou a destruição total do Porto das Lajes das Flores, o que colocou em risco o abastecimento ao grupo ocidental.

Nos últimos dias, diversos partidos chamaram a atenção para a falta de bens essenciais nas Flores, nomeadamente frescos e bens perecíveis.

Ainda esta semana entrará ao serviço o navio “Malena”, fretado pelo Governo Regional por um período de três meses, com opção de extensão do prazo, que colmatará a ausência de chegada de mercadoria por via marítima – com recursos a tráfego local – à ilha das Flores.

A última viagem de abastecimento à ilha foi realizada em 13 de Dezembro de 2019, com as condições negativas do mar a impedir novas travessias.

Durante a passagem do Lorenzo no arquipélago foram registadas 255 ocorrências e 53 pessoas tiveram de ser realojadas, num total de cerca de 330 milhões de euros de prejuízo, segundo o executivo açoriano.

Pub

Leia também

Covid-19: DGS alerta para uso indevido de luvas porque pode potenciar contágio

A Direcção-Geral da Saúde (DGS) considerou hoje que o uso de luvas na rua pode ser “contraproducente e dar uma falsa sensação...

Distrito de Coimbra sob aviso amarelo devido à chuva

O distrito de Coimbra está sob aviso amarelo até às 21h de hoje, devido à previsão de chuva que poderá ser forte,...

Tempo de Páscoa diferente

Buarcos, com largas tradições religiosas na Quaresma, suspendeu as cerimónias habituais como as procissões da Semana Santa, mas mantém vivo o espírito...

Covid-19: Pandemia alterou consumos de álcool e drogas para quase um terço de jovens

Perto de um terço dos jovens portugueses (62,4%) acredita que a pandemia de covid-19 contribuiu para a alteração de consumo de álcool...

Covid-19: Comerciantes dos mercados da Figueira da Foz com entregas ao domicílio

A Câmara da Figueira da Foz disponibilizou o contacto de 30 comerciantes dos dois mercados municipais, que continuam abertos, para que as...