Início Nacional O navio “Figueira da Foz” levou mantimentos aos Açores

O navio “Figueira da Foz” levou mantimentos aos Açores

A Força Aérea e a Marinha levaram hoje para a ilha das Flores um total de 30 toneladas de mercadoria, sendo leite, medicamentos e legumes alguns dos bens a transportar, informou o Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA).

Em nota à imprensa, a entidade sublinha que o apoio surge a pedido do Governo dos Açores e, no total, a Marinha e a Força Aérea colocarão ao serviço 56 militares, um navio e uma aeronave para levar bens e produtos à ilha do grupo ocidental dos Açores, cujo maior porto ficou destruído após o furacão Lorenzo e cujas condições meteorológicas e oceanográficas adversas têm impedido o regular abastecimento das populações.

“O navio patrulha oceânico «Figueira da Foz», com 51 militares a bordo, largou ontem (Quarta-feira) à noite do porto da Praia da Vitória, na ilha Terceira, após embarcar 25 toneladas de bens essenciais, estando previsto chegar à ilha das Flores hoje à tarde. A aeronave C-295, com uma tripulação de 5 militares, vai descolar durante a tarde da ilha Terceira, com 5 toneladas de bens essenciais (víveres) embarcados”, prossegue o EMGFA.

O recurso às Forças Armadas para o abastecimento da ilha das Flores foi anunciado na Quarta-feira pelo Governo Regional dos Açores.

Será ainda avaliada a necessidade de bens na ilha do Corvo, também pertencente ao grupo ocidental dos Açores, indicou na altura o director regional com a tutela dos Transportes, Pedro Silva.

A passagem do furacão Lorenzo pelos Açores, em Outubro de 2019, causou a destruição total do Porto das Lajes das Flores, o que colocou em risco o abastecimento ao grupo ocidental.

Nos últimos dias, diversos partidos chamaram a atenção para a falta de bens essenciais nas Flores, nomeadamente frescos e bens perecíveis.

Ainda esta semana entrará ao serviço o navio “Malena”, fretado pelo Governo Regional por um período de três meses, com opção de extensão do prazo, que colmatará a ausência de chegada de mercadoria por via marítima – com recursos a tráfego local – à ilha das Flores.

A última viagem de abastecimento à ilha foi realizada em 13 de Dezembro de 2019, com as condições negativas do mar a impedir novas travessias.

Durante a passagem do Lorenzo no arquipélago foram registadas 255 ocorrências e 53 pessoas tiveram de ser realojadas, num total de cerca de 330 milhões de euros de prejuízo, segundo o executivo açoriano.

Pub

Leia também

Foi criado o Prémio de Fotografia António Ramos Silva

Na exposição fotográfica, ontem inaugurada, em homenagem a António Ramos Silva, a Associação Magenta e a Dez de Agosto anunciaram a criação de um...

“Trair e coçar é só começar” – comédia com José Raposo passa pelo CAE

O Centro de Artes e Espectáculos (CAE) vai apresentar a peça de comédia "Trair e coçar é só começar", protagonizada por José Raposo, dos...

Mais dias de competição esperam um pelotão que terá uma Volta a Portugal tardia

O pelotão português inicia no domingo, na Prova de Abertura, um calendário com mais de 70 dias de competição, um número que supera amplamente...

Polícia Marítima da Figueira autua empresa a operar sem licenciamento

Na passada segunda-feira, elementos do Comando-local da Polícia Marítima da Figueira da Foz detectaram e autuaram uma empresa que se encontrava a efectuar trabalhos...

Exposição fotográfica presta homenagem a António Ramos Silva

No próximo sábado, dia 4 de Fevereiro, a associação Magenta e a sociedade filarmónica Dez de Agosto vão realizar uma homenagem a António Ramos...