Início Nacional Covid-19: “O país não para” com declaração de estado de emergência -...

Covid-19: “O país não para” com declaração de estado de emergência – António Costa

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou hoje que o Governo apoia a decisão do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, de decretar o estado de emergência.

A comunicação foi feita pelo primeiro-ministro após uma reunião urgente do Conselho de Ministros, que decorreu no Palácio da Ajuda, em Lisboa.

António Costa sensibilizou ainda os portugueses dizendo que mesmo sob estado de emergência, “o país não para”, e que o Governo tudo fará para que se mantenha a produção e distribuição de bens e serviços essenciais.

“Para salvar vidas, é fundamental que a vida continue e tudo aquilo que são as cadeias de abastecimentos essenciais continue a ser assegurado, os serviços essenciais continuem a ser prestados, porque os nossos cidadãos, em particular os mais fragilizados, necessitam que toda a cadeia de bens e serviços essenciais continuem a funcionar”, defendeu.

“O país não vai parar, nós temos de continuar, porque só continuando damos um combate eficaz a esta pandemia”, afirmou.

Se a proposta de decreto presidencial for hoje aprovada pelo parlamento, o Conselho de Ministros voltará a reunir-se na quinta-feira para aprovar as medidas que lhe dão execução e o primeiro-ministro já solicitou ajuda técnica e científica para as desenhar.

“Hoje, no Ministério da Saúde, reuni com a ministra, secretários de Estado, Direcção-Geral da Saúde, presidente do Instituto Nacional de Saúde, presidente do Conselho Nacional de Saúde Pública, a quem solicitei que, até ao final do dia de hoje, habilitassem o Governo com base técnica e científica o mais sólida possível e a recomendação de medidas ao Governo”, informou.

Questionado como irá aplicar o decreto de estado de emergência, depois de ter dado a entender que este não era necessário, o primeiro-ministro assegurou que “o Governo cá está para dar execução” ao diploma, com o mesmo critério que tem aplicado até aqui.

“Fazermos tudo o que é necessário, nada mais do que é necessário, limitar ao mínimo a anormalidade da vida das pessoas e tudo fazer para salvar a vida das pessoas”, disse.

António Costa deixou ainda um apelo aos portugueses: “Mantenham a serenidade, calma, confiança, é muito importante todos estarmos cientes que estamos perante uma pandemia que é um risco para a saúde de todos nós, mas há condições para a ultrapassarmos, sobretudo se todos agirmos com a serenidade e a calma que se impõem neste momento”.

Pub

Leia também

“Trair e coçar é só começar” – comédia com José Raposo passa pelo CAE

O Centro de Artes e Espectáculos (CAE) vai apresentar a peça de comédia "Trair e coçar é só começar", protagonizada por José Raposo, dos...

Mais dias de competição esperam um pelotão que terá uma Volta a Portugal tardia

O pelotão português inicia no domingo, na Prova de Abertura, um calendário com mais de 70 dias de competição, um número que supera amplamente...

Polícia Marítima da Figueira autua empresa a operar sem licenciamento

Na passada segunda-feira, elementos do Comando-local da Polícia Marítima da Figueira da Foz detectaram e autuaram uma empresa que se encontrava a efectuar trabalhos...

Exposição fotográfica presta homenagem a António Ramos Silva

No próximo sábado, dia 4 de Fevereiro, a associação Magenta e a sociedade filarmónica Dez de Agosto vão realizar uma homenagem a António Ramos...

Câmara quer avançar com variante a Quiaios neste mandato

O presidente da Câmara da Figueira da Foz pretende avançar ainda neste mandato com a construção da variante a Quiaios, numa extensão de cerca...