Início Educação Instituto Superior de Engenharia de Coimbra vai formar professores de São Tomé

Instituto Superior de Engenharia de Coimbra vai formar professores de São Tomé

O Instituto Superior de Engenharia de Coimbra vai formar professores da Universidade de São Tomé e Príncipe em várias áreas de engenharia e capacitar profissionais para a indústria do petróleo, anunciou hoje o seu presidente, Mário Velindro.

Em declarações à agência Lusa, Mário Velindro explicou que as primeiras ações deverão começar em outubro, no âmbito de um protocolo de cooperação celebrado entre o instituto e a universidade.

Segundo Mário Velindro, a Universidade de São Tomé e Príncipe “tem necessidade de qualificar docentes, porque alguns não têm o mestrado concluído e outros não o iniciaram”.

A estes professores, que serão “entre 25 e 30”, será dada formação avançada em várias áreas de engenharia, nomeadamente civil, eletrónica, mecânica e informática, tanto em Coimbra como em São Tomé.

O responsável referiu que, como a Universidade de São Tomé e Príncipe “tem uma ligação forte à Agência Nacional do Petróleo e, em 2021, pensa-se que sejam abertos os primeiros poços na fronteira comum”, serão também dadas formações específicas para profissionais da indústria do petróleo.

“Estão a antever o futuro e querem começar a preparar técnicos que deem resposta às necessidades”, criando assim oportunidades de trabalho para alguma mão-de-obra local, frisou.

O protocolo tem como objetivo “desenvolver uma ampla e eficaz colaboração em temas de interesse comum, tendo como particular enfoque o processo de transmissão de conhecimento em matérias da competência de ambas as partes”.

Para que tal aconteça, além de ações de formação a estudantes, professores, investigadores e profissionais da indústria, o instituto de Coimbra e a universidade são-tomense vão organizar simpósios, conferências e ‘workshops’.

Outra vertente do protocolo é a iniciação à programação informática, que Mário Velindro considera que poderá abranger, “pelo menos, 500 jovens numa primeira fase”, preparando-os para criarem conceitos matemáticos e computacionais básicos através da linguagem de programação Scratch.

Na sua opinião, atendendo à grande percentagem de jovens que existem em São Tomé e Príncipe, a sua formação nesta área dará um grande potencial ao país.

Pub

Leia também

Praias: Balanço nestes primeiros dias

Os concessionários de praia, nomeadamente os da Figueira da Foz, tiveram um primeiro mês de época balnear positivo “em termos de segurança”,...

Porto da Figueira entra numa economia de base circular

O Porto da Figueira da Foz assumiu o compromisso de desenvolver acções que visam a promoção de práticas circulares ao assinar o...

Linha Oeste volta à estação da Figueira da Foz

Passados nove anos desde a última vez em que um comboio veio directamente da linha Oeste para a Figueira da Foz, a...

Figueira e resto do país com temperaturas elevadas até ao final da próxima semana

As temperaturas elevadas no país deverão continuar até à próxima sexta-feira, com os termómetros a atingirem os 35ºC no litoral e 40ºC...

Alunos podem candidatar-se a mestrados e doutoramentos sem terminar ciclo de estudos

Os alunos podem candidatar-se a ciclos de mestrado ou doutoramento sem terem concluído o ciclo de estudos anterior, segundo um diploma hoje aprovado...