Início Ambiente Marinha Grande alerta Governo para necessidade de colocação de areia nas praias

Marinha Grande alerta Governo para necessidade de colocação de areia nas praias

O Município da Marinha Grande voltou hoje a alertar o Governo para a necessidade de colocação de areia nas praias do concelho, à semelhança do que vai suceder na Costa da Caparica, no concelho de Almada.

“Ao tomar conhecimento da intervenção realizada pela APA [Agência Portuguesa do Ambiente] na Costa da Caparica, remeti uma comunicação aos senhores secretários de Estado do Ambiente e do Ordenamento do Território a recordar-lhes o seu compromisso em resolver este problema também na nossa costa”, anunciou a presidente da Câmara da Marinha Grande, Cidália Ferreira (PS), citada numa nota de imprensa.

Cidália Ferreira recordou que, nos últimos dois anos, tem insistido junto do Ministério do Ambiente para “a necessidade de se encontrar uma solução para o desaparecimento crescente dos areais das praias” do concelho, nomeadamente em Vieira de Leiria e em São Pedro de Moel.

“O Programa de Ordenamento da Orla Costeira prevê a construção de uma estrutura a norte que contrarie a deslocalização dos sedimentos, mas tal solução requer estudos de impacto ambiental que têm de ser previamente assegurados pela Administração Central, sob pena de se estar a resolver o problema a norte, na Vieira, agravando-o a sul, particularmente na Praia Velha e em São Pedro”, referiu.

Na última reunião que a autarca teve com o secretário de Estado do Ambiente foi-lhe comunicado que “iria ser feita uma intervenção de deposição de areia em grandes quantidades, retiradas na Figueira da Foz, que com as correntes garantiria a reposição de areal nas praias a sul”.

No entanto, segundo Cidália Ferreira, essa operação está prevista para começar em 2020: “E não é certo que os resultados dessa intervenção sejam os que todos desejamos, mas sabemos que as nossas praias continuam a sofrer todos os anos com a perda significativa de areia”.

A presidente informou ainda que a Câmara Municipal, nos últimos dois anos, investiu na “manutenção e conservação das infraestruturas de madeira (passadiços, acessos, etc.), por forma a melhorar as condições das mesmas”.

Foi ainda estabelecido um acordo de cooperação com o Laboratório Nacional de Engenharia Civil para monitorização da orla costeira, na perspetiva da prevenção dos riscos associados à erosão e ao avanço do mar.

“Exigimos que as agências governamentais que estipulam as regras e que são responsáveis pelo ambiente olhem para a costa do concelho da Marinha Grande com a enorme importância social, cultural e turística que ela tem”, acrescentou, garantindo que está disponível para colaborar no que for necessário.

Lusa

Leia também

Figueira da Foz destruiu 130 ninhos de vespa asiática desde o início do ano

O concelho da Figueira da Foz eliminou desde janeiro 130 ninhos de vespas velutinas, na maioria localizados nas maiores freguesias urbanas, Buarcos...

Incêndios: Acusada de queimada que terá contribuído para fogo no Pinhal de Leiria começa hoje a ser julgada

Uma mulher de 69 anos começa hoje a ser julgada no Tribunal de Alcobaça, acusada de ter sido autora de uma queimada...

António Costa propõe Ana Abrunhosa para ministra da Coesão Territorial

O primeiro-ministro indigitado propôs hoje ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a nomeação de Ana Abrunhosa para o cargo de...

Academia Europa debate projeto europeu com 60 universitários na Figueira da Foz

A segunda edição da Academia Europa, a primeira na Figueira da Foz, quer discutir o futuro do projeto europeu mas também as...

Figueira da Foz recusa reabrir acesso no Cabo Mondego por questões de segurança

O presidente da Câmara da Figueira da Foz manifestou-se irredutível sobre a reabertura de um caminho de acesso no Cabo Mondego, junto...