Início Educação Escolas devem reabrir normalmente, mas Governo preparado para decisões diferentes

Escolas devem reabrir normalmente, mas Governo preparado para decisões diferentes

As escolas devem reabrir em situação de normalidade e só uma evolução negativa da pandemia levará a decisões contrárias, de maior ou menor alcance, que o Governo disse hoje estar preparado para tomar.

Na conferência de imprensa da reunião do Conselho de Ministros de hoje, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva disse, depois de questionada sobre o tema, que o Governo está a trabalhar com as escolas para garantir um cenário “o mais próximo possível do normal arranque do ano lectivo”.

“Obviamente, que a cada momento e em função da situação epidemiológica estamos sempre preparados para tomar decisões diferentes. Decisões diferentes mais limitadas, de pequenos acertos ao funcionamento, ou decisões diferentes mais significativas, retomando o ensino à distância e a plataforma de estudo em casa, que continua a ser preparada para que possa responder”, disse a ministra.

Mariana Vieira da Silva disse que são conhecidas as orientações para a reabertura das escolas e arranque do ano lectivo e sublinhou que depende da situação epidemiológica no momento do arranque um início de aulas mais próximo da normalidade ou com limitações, como a divisão de turmas ou o recurso ao ensino à distância, por exemplo.

“Essas decisões são tomadas pelas autoridades de saúde e pelo Ministério da Educação em função da condição de partida que se conheça”, disse.

Reconhecendo a situação de excepcionalidade que vai obrigar os alunos a usar máscara, a ter sempre disponível gel desinfectante, a criar corredores de circulação, regras de permanência e horários específicos para refeições, entre outros aspectos motivados pelo combate à pandemia de covid-19, decididas pelas escolas, pelo Ministério da Educação e pelas autoridades de saúde, a ministra frisou também a importância do regresso à escola.

“Consideramos que o regresso às aulas é da maior importância, para as crianças e para os jovens, para toda a sociedade e estamos a trabalhar para que possa ser retomado”, disse.

“Quando em Março encerrámos as escolas o nível de conhecimento que existia também era distinto do que hoje existe e hoje é uma recomendação de todos, da própria OMS, que as escolas possam retomar, porque elas são, para muitas crianças e jovens, o local mais seguro e onde mais condições de segurança e de saúde pública se podem garantir, além do ensino e de aprendizagem, do contacto com outras crianças, da alimentação que a escola pública fornece”, acrescentou a ministra.

Pub

Leia também

Nova maternidade de Coimbra vai ser construída nos Hospitais da Universidade

A nova maternidade de Coimbra vai ser construída no polo dos Hospitais da Universidade, anunciou hoje o presidente do Centro Hospitalar e Universitário de...

Ginásio com cinco victórias na regata internacional de Sevilha

A 4ª edição da “Internacional Rowing Masters Regatta”, organizada pela Federação Andaluza de Remo, levou a Sevilha (Pista de la Cartuja), no fim de...

Livro “A Pandemia e o Jogo” lançado no Casino Figueira

"O jogo online foi legislado em Portugal em 2015. Tal como havia sucedido aquando da regulamentação de 1927 com os casinos, também na sua base estiveram...

Let’s Build Happiness – projecto de solidariedade

Pelo quarto ano consecutivo, a Escola Profissional da Figueira da Foz e o INTEP irão implementar o projecto de solidariedade social “Let's Build Happiness”. As...

Mar e regresso do ensino superior nas prioridades de Santana Lopes

O independente Pedro Santana Lopes tomou hoje posse como presidente da Câmara da Figueira da Foz, eleito pelo movimento “Figueira a Primeira”, e assumiu...