Início Desporto Ticha Penicheiro será homenageada no campo das ‘traseiras’ da Figueira

Ticha Penicheiro será homenageada no campo das ‘traseiras’ da Figueira

A basquetebolista Ticha Penicheiro, ex-internacional portuguesa e campeã da liga profissional feminina norte-americana (WNBA) em 2005, vai ser homenageada no domingo no campo de rua das ‘Traseiras’, na Figueira da Foz, que foi agora requalificado.

A requalificação do campo, localizado numa zona residencial na encosta entre o parque das Abadias e a zona turística do Bairro Novo, partiu da Câmara Municipal da Figueira da Foz, em parceria com a Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB).

Numa nota publicada na sua página de internet, a FPB sublinha que a intervenção “homenageia uma das maiores referências da modalidade em Portugal”, acrescentando que Ticha Penicheiro – que começou a jogar basquetebol precisamente no campo das Traseiras – “acabou por ter intervenção directa na escolha da imagem desta requalificação”, a qual, em tons de verde, amarelo, preto ou roxo e entre outros motivos, mostra uma figura com um equipamento com o “seu” número 21 e a assinatura da própria atleta, constatou a agência Lusa no local.

O presidente da Câmara da Figueira da Foz, Carlos Monteiro, lembrou que o campo das Traseiras “tem uma visibilidade acrescida porque lá praticaram basquetebol uma série de basquetebolistas famosos, dos quais, na realidade, a Ticha é a mais famosa, a nível mundial e começou ali a lançar as primeiras bolas”.

O presidente da Câmara frisou, no entanto, que embora a requalificação homenageie Ticha Penicheiro, também homenageia, “embora não implicitamente”, Pedro Carvalhal, ex-basquetebolista que ali nasceu e viveu e que, nos últimos anos, cuidou do campo que estava ao abandono e da sua reactivação, com os filhos e amigos destes.

“O Pedro Carvalhal também está a ser homenageado, porque se o campo não tivesse retomado a prática (do basquetebol) não fazia sentido estarmos a gastar dinheiro do erário público. Hoje, o campo tem uso e isso deve-se à actividade que o Pedro Carvalhal ali desenvolveu”, afirmou Carlos Monteiro.

Para a cerimónia de domingo, além da presença de Ticha Penicheiro, o município convidou formalmente os moradores do bairro onde se situa o campo das Traseiras: “E é evidentemente aberta a todos os que ali agarraram numa bola de basquetebol e se quiserem associar”, disse Carlos Monteiro.

Em declarações à Lusa, Pedro Carvalhal, manifestou-se “muito contente” pela requalificação, assumida pelo município e pela FPB, do espaço público de que tem vindo a cuidar e que estava degradado e abandonado há vários anos, com as tabelas partidas.

“Custava-me muito, tendo nascido ali, tendo jogado ainda em terra batida e depois em alcatrão, ver aquilo tudo degradado e a ser um antro de droga, que era o que era”, precisou Pedro Carvalhal.

Um dia, num almoço entre amigos, fez o desafio a um técnico camarário da área do desporto: se as tabelas fossem repostas, ele tratava da envolvente.

Assim sucedeu e Pedro Carvalhal pintou o campo, plantou árvores, removeu “escorregas todos partidos” do jardim anexo e criou instalações artísticas – um jogador de basquetebol e bolas de diversas cores, entre outras – usando materiais doados ou que recolheu em “restos de obras” de construção civil.

A requalificação por si iniciada “começou a ter impacto” quando o campo das Traseiras voltou a receber jogadores “às dezenas, que vão para lá às duas da tarde e saem de lá às oito da noite, agora outra vez. É uma grande satisfação”, notou.

O filho, Zé Pedro, também ele atleta de basquetebol, passou a organizar com amigos o Torneio das Traseiras, duas edições (2018 e 2019) “que foram um sucesso” e uma terceira impossibilitada pela pandemia de covid-19 em 2020.

“Eu sempre disse que o desporto é de rua e as pessoas, havendo boas condições e um ambiente saudável, praticam desporto na rua, mesmo que muitos não se convençam disso”, sublinhou Pedro Carvalhal.

Sobre a homenagem de domingo, sustentou que Ticha Penicheiro “atingiu o estrelato, chegou à NBA, foi campeã, é uma pessoa conhecida e merece. Eu fico contente que tenham feito as obras, porque era o meu objectivo, a reabilitação do campo e projectá-lo para os anos seguintes”.

“Tenho pena é que as tabelas não sejam em fibra de vidro. É uma lacuna, faz-se um investimento destes e as tabelas são as que já estavam e mudam só os aros, não dá para entender”, lamentou Pedro Carvalhal.

Pub

Leia também

Zero casos registados pelo segundo dia consecutivo

O concelho da Figueira da Foz não registou qualquer caso de infecção com covid-19 nas últimas 24h, permanecendo um total de 20 casos activos,...

Melanda Architects destacada com dois prémios internacionais pela DNA Paris Design Awards

O Atelier figueirense Melanda Architects (MA), fundado por Mário Melanda, foi este mês galardoado com dois prémios pela DNA Paris Design Awards nas categorias...

“O Figueirense” entra no 103.º ano de vida

O jornal “O Figueirense”, centenária publicação da Figueira da Foz, entra hoje, dia 19 de Junho no seu 103.º ano de publicação. Fundado na antiga...

Figueira sem casos registados nas últimas 24h

O concelho da Figueira da Foz não registou qualquer caso de infecção com covid-19 nas últimas 24h, permanecendo um total de 23 casos activos,...

Noite da Primavera reabre Salão do Casino

Ao fim de largos meses encerrado, o Casino Figueira reabre as portas do salão caffé amanhã, sábado, no dia 19 de Junho, às 20...