Início Ambiente Figueira da Foz vai mudar para ‘led’ toda a iluminação pública do...

Figueira da Foz vai mudar para ‘led’ toda a iluminação pública do concelho

O município da Figueira da Foz vai mudar para lâmpadas ‘led’ toda a iluminação pública do concelho, um projecto de 8,4 milhões de euros que deverá estar concluído em 2022.

Segundo o projeto, aprovado em reunião da autarquia, o município prevê trocar as 22.500 luminárias públicas das 14 freguesias por outras com tecnologia ‘led’, mais eficiente e com menor consumo, o que representará uma poupança anual de 890 mil euros na despesa corrente municipal.

Para tal, o executivo irá contratualizar um empréstimo bancário no valor de 7,9 milhões de euros, a pagar a 10 anos (830 mil euros por ano), o que será amortizado com a poupança gerada na factura de energia.

Actualmente, a Câmara Municipal gasta cerca de 1,3 milhões de euros anuais com o consumo da iluminação pública, valor que, com a concretização do projecto, cairá para cerca de 400 mil euros.

No entanto, face à necessidade de amortizar o empréstimo, nos primeiros 10 anos a poupança gerada será de 60 mil euros anuais, sendo esta a diferença entre os 890 mil euros a menos na fatura de energia e os 830 mil euros necessários ao pagamento à entidade bancária.

“Hoje pagamos o que pagamos porque temos luminárias desligadas. Com a tecnologia ‘led’ podem estar todas ligadas a consumir muito menos e com muito mais eficiência energética”, sublinhou o autarca.

Carlos Monteiro definiu o projecto como uma “revolução” ao nível da iluminação pública, argumentando que o município tem vindo a trabalhar nesta solução há cerca de oito anos e lembrando que ele foi precedido de um projecto-piloto na freguesia ribeirinha de Vila Verde, orçado em cerca de 400 mil euros e já concluído.

“Sabemos exatamente o que é que queremos, a nível de equipamentos e de gestão do sistema. Vamos ter uma temperatura de cor de 2800k (um branco quente) que pode baixar um bocadinho, por exemplo, nas praças”, exemplificou.

“Vamos melhorar a iluminação e reduzir em 18.500 toneladas os gases de efeito de estufa”, adiantou.

O sistema a instalar permite controlar a intensidade da luz produzida e inclui diversos sensores que possibilitam, entre outros, “saber na hora quando uma luminária se funde e substituí-la”, controladores de tráfego ou suporte para comunicações 5G.

“Quando o sol se põe tem logo uma iluminação forte, que depois até pode reduzir de intensidade durante a noite quando não há ninguém na rua”, apontou.

O presidente da autarquia estima que o novo sistema possa estar em funcionamento nos primeiros meses de 2022. Após o visto do Tribunal de Contas, concurso público e adjudicação, serão “quatro ou cinco meses para substituir as 22.500 luminárias, estimamos cerca de cinco mil por mês”, frisou.

Pub

Leia também

Nova maternidade de Coimbra vai ser construída nos Hospitais da Universidade

A nova maternidade de Coimbra vai ser construída no polo dos Hospitais da Universidade, anunciou hoje o presidente do Centro Hospitalar e Universitário de...

Ginásio com cinco victórias na regata internacional de Sevilha

A 4ª edição da “Internacional Rowing Masters Regatta”, organizada pela Federação Andaluza de Remo, levou a Sevilha (Pista de la Cartuja), no fim de...

Livro “A Pandemia e o Jogo” lançado no Casino Figueira

"O jogo online foi legislado em Portugal em 2015. Tal como havia sucedido aquando da regulamentação de 1927 com os casinos, também na sua base estiveram...

Let’s Build Happiness – projecto de solidariedade

Pelo quarto ano consecutivo, a Escola Profissional da Figueira da Foz e o INTEP irão implementar o projecto de solidariedade social “Let's Build Happiness”. As...

Mar e regresso do ensino superior nas prioridades de Santana Lopes

O independente Pedro Santana Lopes tomou hoje posse como presidente da Câmara da Figueira da Foz, eleito pelo movimento “Figueira a Primeira”, e assumiu...