Início Cultura Coimbra e Figueira da Foz celebram 200 anos da Revolução Liberal com...

Coimbra e Figueira da Foz celebram 200 anos da Revolução Liberal com novos livros

As cidades de Coimbra e Figueira da Foz celebram na segunda-feira os 200 anos da Revolução Liberal com o lançamento de dois livros e intervenções que recordam a “vergonhosa debandada” da corte para o Brasil em 1807.

Em Coimbra, no café Santa Cruz, às 12:00, é apresentada a obra “Memórias da nossa regeneração de 24 de Agosto de 1820”, da autoria de duas figuras do liberalismo, José Liberato Freire de Carvalho e José Ferreira Borges.

Trata-se de uma iniciativa conjunta da Comissão Liberato e Pró-Associação 8 de Maio (Coimbra), Associação Cívica e Cultural 24 de Agosto (Figueira da Foz) e Editorial Moura Pinto (Coja, Arganil).

No essencial, o livro reproduz as “Memórias para a história da nossa brilhante e gloriosa regeneração de 24 de Agosto de 1820”, que José Liberato, oriundo de Coimbra e exilado em Londres, começou a escrever em 1821.

Segundo a editora, a obra “celebra graus e qualidades de um povo humilhado pela vergonhosa debandada da corte para o Brasil [na sequência das invasões francesas] e a sua abominável submissão ao general Beresford”, o inglês que comandava as tropas anglo-lusas.

Com a eclosão da Revolução Liberal, no Porto, em 24 de Agosto de 1820, concebida pelo Sinédrio e liderada por Manuel Fernandes Tomás, “encerrou-se definitivamente o capítulo mais tenebroso da História de Portugal: os tribunais do Santo Ofício, nascidos com João III a 23 de maio de 1536, queimaram durante 238 anos inocentes até raiar o dia 31 de Março de 1821”, salienta no livro o presidente da Moura Pinto, Carlos Maia Teixeira.

“Para Liberato, é imperdoável a deslocação da família real para o Brasil, naquilo que considera uma fuga à invasão francesa, deixando um povo órfão e mal entregue que, após um primeiro tempo de recuo e submissão, heroicamente se levanta e derrota os invasores sucessivamente até à sua expulsão”, enaltece, por sua vez, Manuel Seixas, da Comissão Liberato.

O prefácio é da autoria de José Manuel Martins, para quem os portugueses “encontraram no desembargador Fernandes Tomás e nos companheiros do Sinédrio os mais virtuosos e ilustres regeneradores da Pátria, dispostos a combater a odiosa tirania”.

Este investigador, membro da Associação 24 de Agosto, descreve os portugueses e os revolucionários de há 200 anos, “com tantos serviços prestados na resistência” aos franceses, como “os vergados pela humilhação à tutela inglesa, os desprezados e abandonados a um Brasil que desumanamente devorava Portugal em homens e dinheiro”.

Às 17h30, começaram na Figueira da Foz as comemorações do bicentenário da Revolução Liberal, com uma homenagem ao jurisconsulto Manuel Fernandes Tomás, natural do concelho.

Organizada pela Câmara Municipal, Associação Manuel Fernandes Tomás e Associação 24 de Agosto, a iniciativa inclui a deposição de uma coroa de flores junto ao túmulo do “Patriarca da Liberdade”, na praça 8 de Maio, seguindo-se às 18h30 uma sessão evocativa no Centro de Artes e Espetáculos (CAE).

Pub

Leia também

Mau Tempo: Mais de 150 ocorrências entre as 08:00 e as 17:00

A Proteção Civil registou 150 ocorrências devido ao mau tempo, com Leiria, Coimbra, Porto e Lisboa a serem os distritos mais afetados,...

Figueira ganha prémio nacional da Mobilidade em Bicicleta

O Município da Figueira da Foz foi galardoado com o prémio nacional da mobilidade em bicicleta 2020, na categoria de Autarquias e...

Pais contra as mudanças de sala dos alunos

Os pais e encarregados de educação da turma 1, do 6.º ano de escolaridade da Escola Dr. João de Barros da Figueira...

Mais de 300 médicos de família ainda não foram colocados

Mais de um mês após o lançamento do concurso para colocação dos 365 médicos de família, os especialistas continuam sem trabalhar numa...

Protecção Civil emite recomendações para próximos dias de mau tempo

A Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC) emitiu hoje recomendações para as próximas 48 horas devido às previsões de chuva...