Início Cultura Carlos Reis recebe Prémio Eduardo Lourenço 2019 no dia 18 na Guarda

Carlos Reis recebe Prémio Eduardo Lourenço 2019 no dia 18 na Guarda

O professor e investigador da Universidade de Coimbra Carlos Reis, de 69 anos, recebe, no dia 18 de outubro, na cidade da Guarda, o Prémio Eduardo Lourenço 2019, foi hoje anunciado.

Segundo o vereador da Câmara Municipal da Guarda com o pelouro da cultura, Victor Amaral, o galardão vai ser entregue no decorrer de uma cerimónia a realizar pelas 17:30 daquele dia, na Sala Tempo e Poesia da Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço.

O autarca adiantou à agência Lusa que o elogio ao premiado estará a cargo do professor catedrático da Universidade de Coimbra José Augusto Cardoso Bernardes.

Carlos Reis é o vencedor da 15.ª edição do prémio Eduardo Lourenço, no valor de 7.500 euros, atribuído pelo Centro de Estudos Ibéricos (CEI), com sede na Guarda.

Instituído em 2004, o prémio destina-se a galardoar personalidades ou instituições com “intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas”.

“[A entrega do Prémio Eduardo Lourenço] é um dos momentos altos do projeto do CEI que faz jus ao seu patrono, Eduardo Lourenço, que nos continua a inspirar neste importante trabalho de cooperação institucional com as Universidades de Coimbra e de Salamanca [Espanha] e com o Politécnico da Guarda, num desígnio que ultrapassa cada vez mais fronteiras territoriais e culturais”, disse Victor Amaral.

No dia 14 de junho, quando foi anunciado o vencedor do galardão, o vereador da Cultura do município da Guarda afirmou aos jornalistas que Carlos Reis “encarna perfeitamente o espírito do Prémio Eduardo Lourenço”.

O autarca disse que o premiado, que “representa, claramente, pelo seu trajeto, pela obra, pelo seu currículo, no que diz respeito à Literatura Portuguesa, e também na relação que tem com a Espanha e com a promoção, quer em termos culturais quer cívicos, quer também em termos literários, encaixa perfeitamente dentro do perfil deste prémio”.

Na mesma ocasião, o presidente do júri, o vice-reitor da Universidade de Coimbra Delfim Leão referiu que o prémio deste ano foi “muitíssimo bem atribuído” a Carlos Reis, professor universitário no Departamento de Línguas e Literaturas e Culturas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e diretor do Centro de Literatura Portuguesa daquela instituição, especializado em Literatura Portuguesa dos séculos XIX e XX e em Teoria da Narrativa.

“Sendo português, tem uma amplíssima projeção no estrangeiro, começando logo, obviamente por Espanha, pelos países falantes de Espanhol e de Português, mas que vai muito além disso”, declarou.

O galardão, com o nome do ensaísta Eduardo Lourenço, mentor e diretor honorífico do CEI, já distinguiu várias personalidades de relevo de Portugal e de Espanha.

Nas edições anteriores receberam o prémio Eduardo Lourenço a professora catedrática Maria Helena da Rocha Pereira, o jornalista Agustín Remesal, a pianista Maria João Pires, o poeta Ángel Campos Pámpano, o professor catedrático de direito penal Jorge Figueiredo Dias, os escritores César António Molina, Mia Couto, Agustina Bessa-Luís, Luís Sepúlveda e Basilio Lousada Castro, o jornalista e escritor Fernando Paulouro das Neves, o teólogo José María Martín Patino e os professores e investigadores Jerónimo Pizarro e Antonio Sáez Delgado.

Leia também

Figueira da Foz destruiu 130 ninhos de vespa asiática desde o início do ano

O concelho da Figueira da Foz eliminou desde janeiro 130 ninhos de vespas velutinas, na maioria localizados nas maiores freguesias urbanas, Buarcos...

Incêndios: Acusada de queimada que terá contribuído para fogo no Pinhal de Leiria começa hoje a ser julgada

Uma mulher de 69 anos começa hoje a ser julgada no Tribunal de Alcobaça, acusada de ter sido autora de uma queimada...

António Costa propõe Ana Abrunhosa para ministra da Coesão Territorial

O primeiro-ministro indigitado propôs hoje ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, a nomeação de Ana Abrunhosa para o cargo de...

Academia Europa debate projeto europeu com 60 universitários na Figueira da Foz

A segunda edição da Academia Europa, a primeira na Figueira da Foz, quer discutir o futuro do projeto europeu mas também as...

Figueira da Foz recusa reabrir acesso no Cabo Mondego por questões de segurança

O presidente da Câmara da Figueira da Foz manifestou-se irredutível sobre a reabertura de um caminho de acesso no Cabo Mondego, junto...