Início Educação Covid-19: Universidade de Coimbra pondera não ter aulas presenciais até ao final...

Covid-19: Universidade de Coimbra pondera não ter aulas presenciais até ao final do ano lectivo

A Universidade de Coimbra já admite a possibilidade de não haver mais aulas presenciais até ao fim do ano lectivo, face à pandemia da covid-19, afirmou hoje o reitor da instituição, numa comunicação enviada ao corpo docente.

“Apelo a todas e a todos que não relaxem e não pensem que vamos voltar ao ensino presencial até ao final do corrente semestre. Não quero com isto dizer que essa hipótese está afastada, mas pode muito bem não haver condições para que tal aconteça”, afirmou o reitor da Universidade de Coimbra (UC), Amílcar Falcão, numa carta enviada ao corpo docente desta instituição de ensino superior a que a agência Lusa teve acesso.

Nessa mesma carta, o reitor afirma que a UC está a “preparar uma solução para a existência de um exame final escrito”, que deverá ser opcional e “que deverá valer apenas uma percentagem da classificação final”.

Considerando que este não é o momento para discutir se a logística montada pela equipa reitoral foi a melhor, Amílcar Falcão vinca que definiu “como prioridade absoluta” a necessidade de se terminar o actual ano lectivo “dentro da maior normalidade possível”.

“Os estudantes não devem ver o seu percurso académico prejudicado”, frisou, referindo que, apesar de o ensino presencial ter dimensões que o à distância não consegue alcançar, o corpo docente tem que “interiorizar” que vai ter que viver com aquilo que se tem.

“Quero por isso lembrar que não estamos de férias. A passagem de ensino presencial para ensino à distância não altera as nossas obrigações”, asseverou, sublinhando que foram dadas ferramentas para a preparação das aulas, um fórum na plataforma Nónio para diálogo com os alunos e uma “panóplia de soluções” para ser feita uma avaliação contínua.

Na mesma carta, o reitor da UC afirma ainda que “dar uma aula à distância não é colocar um ‘powerpoint’ no Nónio”, pedindo aos docentes para se colocarem “no lugar dos estudantes e dos pais”.

“Estamos a ser escrutinados e a informação que me chega dá conta de que, não obstante estar a ser feito muito e bom trabalho, temos espaço e condições para fazer ainda melhor. A reputação da UC tem de ser inatacável”, frisa Amílcar Falcão.

Questionada pela agência Lusa, a Universidade de Coimbra escusou-se a tecer mais comentários ou esclarecimentos, apenas referindo que tudo fará “para que o percurso académico dos seus estudantes não seja prejudicado”.

Pub

Leia também

Pessoas com diabetes com mais de 18 anos já podem agendar reforço de vacina contra a covid-19

As pessoas com mais de 18 anos e comorbilidades associadas já podem agendar o reforço da vacinação contra a covid-19 através sistema de senha...

Montemor-o-Velho destruiu 870 ninhos de vespa asiática em 2021

A Protecção Civil de Montemor-o-Velho destruiu, em 2021, cerca de 870 ninhos de vespa asiática, mais 170 ninhos do que no ano anterior. “Em 2021...

Despiste de motociclo provoca um morto no Paião

O despiste de um motociclo provocou hoje de manhã um morto na localidade de Paião, no concelho da Figueira da Foz, segundo fonte do...

Morreu o maestro César Batalha

Fundador do Coro de Santo Amaro de Oeiras quando tinha apenas 15 anos, César Batalha morreu na sexta-feira à noite, aos 76 anos. O compositor...

“Monólogos do Pénis” no Casino Figueira

Dia 22 de Janeiro, pelas 22 horas, o Casino Figueira vai receber a peça de comédia "Monólogos do Pénis", com a interpretação de Ricardo...