Início Local Trabalhadores de hotelaria, restauração e similares exigem aumentos salariais

Trabalhadores de hotelaria, restauração e similares exigem aumentos salariais

Trabalhadores do sector de hotelaria e restauração desfilaram hoje na Figueira da Foz, em frente a restaurantes e hotéis pela Avenida 25 de Abril, exigindo aumentos salariais e a reposição dos direitos laborais.

“Estamos a sair à rua, tendo em conta que consideramos necessário transmitir um sinal de confiança e ao mesmo tempo de esclarecimento, aos trabalhadores, sobre as situações que estão a passar no período de pandemia”, disse António Baião, do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Hotelaria, Turismo, Restaurantes e Similares do Centro.

Hoje de manhã, dirigentes e delegados sindicais dos seis distritos representados por este sindicato reuniram-se para abordar questões de acção reivindicativa, bem como a situação da contratação colectiva.

O dirigente sindical, que falava junto à Torre do Relógio, onde os trabalhadores se concentraram a exigir os “aumentos salariais”, referiu que muitos destes profissionais em período de pandemia “foram logo os primeiros a serem prejudicados, muito deles com contractos a prazo, inclusive funcionários em situação de clandestinidade do seu vínculo laboral”.

“O que aconteceu é que muitas destas empresas, porque já tinham dificuldades antes da pandemia, não foram elegíveis sequer para meter os trabalhadores em ‘lay-off’, porque tinham dívidas às finanças e segurança social”, referiu.

“Estes trabalhadores foram duplamente penalizados. Não conseguiram ir para ‘lay-off’, a sua maioria, e ao mesmo tempo ficaram sem salário para fazer face às suas despesas”, sublinhou.

António Baião falava aos jornalistas sobre o motivo pelo qual se queixam os empresários, a “falta de mão de obra”, que se deve aos “baixos salários” e aos “horários desregulados”.

“Não se valoriza os trabalhadores deste sector e ao mesmo tempo o que se faz é pagar baixos salários e fazer exploração máxima em termos de ritmos de trabalho”, concluiu.

Baião disse ainda que o Governo “tem uma grande palavra a dizer” sobre a situação no sector.

Pub

Leia também

Portugal sem concelhos em risco extremo pela primeira vez em dois meses

Portugal deixou hoje de ter concelhos em risco extremo de infecção pelo vírus SARS-CoV-2, o que não ocorria desde o início de Julho, segundo...

Circuito Nacional de bodyboard na Praia do Cabedelo

O Circuito Nacional de Bodyboard Crédito Agrícola 2021 vai ter a sua primeira etapa na Praia do Cabedelo já neste fim-de-semana, contando com a...

Cinco novos casos nas últimas 24h – Figueira com 142 casos activos

O concelho da Figueira da Foz registou cinco casos de pessoas infectadas com covid-19 nas últimas 24h, permanecendo um total de 142 casos activos,...

Chuva afecta produção de milho no Baixo-Mondego

A chuva intensa que atingiu o Baixo Mondego, na segunda-feira ao final da tarde, afectou uma “vasta área de produção de milho”, disse à...

Praias na Figueira da Foz vistoriadas após avistamento de tubarões

Várias praias na linha de costa da Figueira da Foz foram hoje vistoriadas pela Autoridade Marítima, devido ao avistamento de três tubarões, no domingo,...