Início Cultura Projecto do Mosteiro de Seiça financiado com 85% de fundos comunitários

Projecto do Mosteiro de Seiça financiado com 85% de fundos comunitários

O contracto de empreitada do Mosteiro de Seiça foi ontem, quinta-feira, assinado entre o Município da Figueira da Foz e a empresa Teixeira Duarte, pelo valor de 2.7 milhões de euros + IVA, sendo financiado por fundos comunitários em 85%.

“Este projecto iniciou-se no ano de 2000, com a aquisição. Passaram 21 anos em que não havia projecto, não havia fundos comunitários e não havia oportunidade”, salientou o presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Carlos Monteiro, enquanto esclareceu que o caminho foi longo até conseguir “reunir as condições necessárias” para poder concorrer a fundos comunitários. 

O edil explicou ainda, na cerimónia de assinatura que, durante todo o processo existiu a preocupação de ter um “projecto com maturidade”, de forma a poder candidatá-lo a Monumento Nacional e assim poder contar com financiamento. 

Neste sentido, o Mosteiro encontra-se já classificado como Imóvel de Interesse Público desde 2002 e aguarda actualmente a homologação da tutela para ser Monumento Nacional, tendo o projecto de decisão sido favorável à sua reclassificação. 

“Para nós era um projecto prioritário mas, antes disso, tínhamos de intervencionar as Escolas, os Centros de Saúde e as vias”, afirmou Carlos Monteiro. 

À margem da apresentação técnica da reabilitação do Mosteiro de Seiça, o arquitecto municipal, Rui Silva explicou que a obra vai “incidir concretamente em duas vertentes”, correspondendo uma à limpeza e consolidação da Igreja, permitindo o seu usufruto enquanto ruína e a outra nas instalações conventuais, de forma a funcionarem como espaço museográfico, cultural e expositivo. 

Como símbolo da fábrica de descasque de arroz, ficará a chaminé que se encontra a sul da Igreja e irá representar a marca desse uso abandonado. 

Já o representante da empresa Teixeira Duarte – vencedora do concurso público, João Pedro Lopes referiu que tudo será feito para que o Monumento esteja finalizado num prazo de dois anos e que envolve um projecto “estudado com todo o afinco, rodeado de parceiros de conservação e restauro”.

Também presente na cerimónia, o presidente da Junta de Freguesia do Paião, Paulo Pinto, afirmou tratar-se de um “dia de felicidade”, salientando que o imóvel será um património importante para a freguesia e toda a região. 

Recorde-se que o Mosteiro de Seiça se encontra localizado na freguesia do Paião, junto à linha ferroviária do Oeste e ribeira de Seiça.

Pub

Leia também

Zero casos registados pelo segundo dia consecutivo

O concelho da Figueira da Foz não registou qualquer caso de infecção com covid-19 nas últimas 24h, permanecendo um total de 20 casos activos,...

Melanda Architects destacada com dois prémios internacionais pela DNA Paris Design Awards

O Atelier figueirense Melanda Architects (MA), fundado por Mário Melanda, foi este mês galardoado com dois prémios pela DNA Paris Design Awards nas categorias...

“O Figueirense” entra no 103.º ano de vida

O jornal “O Figueirense”, centenária publicação da Figueira da Foz, entra hoje, dia 19 de Junho no seu 103.º ano de publicação. Fundado na antiga...

Figueira sem casos registados nas últimas 24h

O concelho da Figueira da Foz não registou qualquer caso de infecção com covid-19 nas últimas 24h, permanecendo um total de 23 casos activos,...

Noite da Primavera reabre Salão do Casino

Ao fim de largos meses encerrado, o Casino Figueira reabre as portas do salão caffé amanhã, sábado, no dia 19 de Junho, às 20...