Início Local Figueira da Foz promove registo itinerante de terrenos nas freguesias

Figueira da Foz promove registo itinerante de terrenos nas freguesias

O município da Figueira da Foz vai promover, ao longo de Agosto, a identificação e registo de terrenos nas freguesias do concelho, através de unidades móveis e equipas especializadas, foi hoje anunciado.

A iniciativa de promover a itinerância do Balcão Único do Prédio (BUPi), justifica-se, segundo a autarquia, pela “necessidade de aproximação aos titulares com menor capacidade de deslocação e, principalmente, aos residentes fora do país”, os quais, habitualmente, regressam às suas origens no mês de Agosto, refere a autarquia, em comunicado.

Assim, ao longo do mês de Agosto, 13 das 14 freguesias da Figueira da Foz vão receber, duas vezes cada uma, na primeira e segunda quinzena, sempre entre as 16 e as 20 horas, as visitas das unidades móveis do BUPi “constituídas por equipas especializadas, que irão chegar ‘mais perto’ das pessoas e dos lugares, garantindo o acesso de todos ao registo das suas propriedades”, acrescenta a nota.

O projecto itinerante inicia-se, no entanto, ainda em Julho, dias 29 e 30, quinta e sexta-feira, na freguesia urbana de Buarcos e São Julião, no Balcão de Atendimento Único, localizado na rua Fernandes Tomaz, junto aos Paços do Concelho, onde está instalado o Balcão Único do Prédio, ali implementado em Maio.

Nos últimos dois meses, o município dinamizou acções de “apresentação e esclarecimento” do BUPi em todas as freguesias da Figueira da Foz para “alertar e sensibilizar” os titulares dos prédios rústicos “para a importância da realização da RGG (Representação Gráfica Georreferenciada) das suas propriedades, como medida de defesa da floresta e protecção de populações contra incêndios, e como forma de garantir a identificação das propriedades para as gerações vindouras”.

As sessões foram acompanhadas da divulgação de cartazes onde se esclarece que o registo dos terrenos é feito “de forma simples e gratuita”.

“Deixe os seus terrenos no mapa da Figueira da Foz”, lê-se num dos cartazes, acompanhado de um pequeno texto explicativo do projecto: “A sua história está escrita nos seus terrenos. Os marcos que só você conhece e a terra que mais ninguém pisa. Por isso, proteger as suas raízes e valorizar o seu legado está nas suas mãos”, sustenta.

A criação do balcão BUPi na Figueira da Foz resultou de uma candidatura apresentada pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra ao Programa Operacional Regional CENTRO 2020, que contou com um investimento global superior a três milhões de euros, adianta a nota.

O BUPi é uma plataforma electrónica que, aliada a uma rede de balcões de proximidade, permite aos proprietários a identificação, o registo simples e gratuito das suas parcelas de terrenos rústicos e mistos, “um procedimento obrigatório para a realização de escrituras de compra e venda de terrenos ou propriedades, usucapião, permutas ou doações, partilhas e também para a realização de novos registos”, explica.

O Balcão Único do Prédio permite ainda a consulta, atualização e impressão de informação sobre uma determinada parcela de terreno, “através da internet, em tempo real”.

Pub

Leia também

Ponte Edgar Cardoso: obras condicionam trânsito durante a semana

As obras de requalificação da ponte Edgar Cardoso vão condicionar o trânsito nos dias 29 e 30 de Novembro, das 8h30 às 17h30, com...

Terapeuta da fala figueirense distinguida em São Brás de Alportel

O Município de São Brás de Alportel realizou a sua 10.ª Gala de Atribuição dos Prémios Juventude onde a figueirense Mónica Rocha foi premiada...

Assembleia Municipal da Figueira da Foz aprova desagregação de quatro freguesias

A Assembleia Municipal da Figueira da Foz deu hoje parecer favorável à desagregação das antigas freguesias de Brenha, Santana, Borda do Campo e São...

O Figueirense já nas bancas!

A edição de Novembro d' O Figueirense já se encontra nas bancas! Eis a primeira página:  

António da Cunha Telles: um amante dos festivais da Figueira

O produtor e realizador António da Cunha Telles, um dos nomes indissociáveis do Cinema Novo português nos anos de 1960, vai a enterrar no...